Image
Top
Menu

Volta ao Mundo – Guia da Capoeira de Salvador

Durante um longo período, a diversidade cultural no Brasil não foi valorizada. Só na década de 20 do século XX, passou-se a valorizar as diferentes raízes da cultura brasileira com ações que vêm se aperfeiçoando através de estratégias políticas e estudos que atendam aos novos desafios e demandas que surgem acerca da salvaguarda e da preservação. Apesar de existirem diversos estudos e projetos envolvendo a capoeira, não encontramos materiais de fácil acesso. Para tanto, o Projeto Volta ao Mundo – Guia da Capoeira de Salvador viabilizará a difusão e a promoção dessa cultura em suas comunidades de origem e para além delas, dentro e fora do país, ampliando a circulação dessa cultura, bem como a fruição e conhecimento da população sobre o universo da capoeira, de forma democrática e acessível. A importância dessa documentação, em formato de guia digital, garante o registro desta manifestação pois estudos mostram que a cultura vai se transformando com o passar do tempo. Intelectuais apontam que, às vezes, uma expressão cultural pode deixar de existir porque tudo aquilo que fazia com que ela existisse se transformou, foi destruído, esquecido. Este projeto coaduna com as ações e políticas de preservação do patrimônio cultural realizado pelo governo municipal, governo estadual e federal brasileiro uma vez que a implementação dessa base de dados retrata o reconhecimento da existência e do valor desta cultura que contribuiu e contribui para a formação da sociedade brasileira, assegurando a permanência da memória de um povo e do seu patrimônio cultural. A Bahia é considerada no mundo como uma referência em capoeira. Pesquisadores e capoeiristas de toda parte vêm à Bahia em busca de informações, uma vez que foi aqui que se iniciou toda a estória que está presente na memória das pessoas que aqui vivem, fazendo parte do cotidiano de milhares de baianos. A capoeira, em 2008, foi reconhecida como patrimônio cultural imaterial e trouxe à tona novos desafios simbólicos e políticos. Acredita-se que, em um mundo globalizado, que tende a reduzir as diferenças e a padronizar as ações humanas, as manifestações culturais locais e tradicionais estariam ameaçadas e deveriam ser preservadas através de políticas públicas. Portanto, esse projeto traduz um instrumento capaz de reconhecer e preservar um bem cultural imaterial contribuindo com o PNPI – Programa Nacional do Patrimônio Imaterial criado pelo IPHAN em 04 de agosto de 2000, que busca apoiar e fomentar projetos de identificação, reconhecimento, salvaguarda e promoção do patrimônio cultural brasileiro. Cuidar do patrimônio imaterial é uma tarefa que cabe aos órgãos governamentais e à sociedade civil.

Ficha Técnica

Concepção: Alex Pochat
Consultoria: Franciane Simplício
Coordenação: Uzeda
Produção executiva: Plataforma de Lançamento
Produção / Mobilização: Aneyvaldo Santos F. Costa (Xará)
Assistente de produção e fotógrafo de still: Germano Estácio
Coordenação de edição: Tábata Lima
Edição: Victor Magno, Ramon Ramos, Lu Black Gonçalves e Paulo Marcio
Câmera: Leonardo Dantas, Peu Ribeiro e Rodrigo Chagas
Captação de áudio / som direto: Rodrigo Chagas
Webmaster: Nélio Castro

Textos fornecidos pelos grupos de capoeira

Fonte: Diacuí, N.; Pochat, A.; Simplício, F. (Org.). A Capoeira em Salvador: registro de mestres e instituições. 1ª Ed. Salvador: Fundação Gregório de Mattos, 2015.

script